Início » , , , » PF prende em Marília membro de quadrilha dos vestibulares

PF prende em Marília membro de quadrilha dos vestibulares

Pirajui por Obirosca Pirajuí em 13 de dezembro de 2012 | 10:50:00

Deflagrada pela Polícia Federal simultaneamente em dez Estados, além do Distrito Federal, a “Operação Calouro” cumpriu 70 mandados de prisão nas primeiras horas da manhã de ontem (12), um deles em Marília. A ação desmantelou uma quadrilha especializada em fraudar vestibulares especificamente para o curso de medicina e que atuava em praticamente todo o território brasileiro, cobrando entre R$ 25 mil e R$ 80 mil. As investigações apontaram uma ramificação do bando na cidade.

Segundo informações apuradas pelo Jornal Diário, o homem, que não teve a identidade revelada, foi preso antes das 7h em sua residência, cujo endereço também foi mantido em sigilo. No local, os agentes federais ainda apreenderam alguns documentos.

Ainda de acordo com o que foi levantado pela reportagem, o suspeito trabalhava na organização criminosa como intermediário entre o aluno interessado em uma vaga e uma faculdade de medicina de Marília.

As investigações, iniciadas em meados do ano passado pela Polícia Federal do Espírito Santo, descobriram que o membro do bando em Marília negociava valores e o montante era divido entre as partes.

Foi descoberto ainda pela “Operação Calouro” que a relação do homem com a faculdade em si era bastante próxima: ele possuía trânsito livre na instituição de ensino e participava anualmente das formaturas dos futuros médicos.

Após ser detido, o homem foi levado à Delegacia da Polícia Federal, onde foi interrogado, e depois recolhido em uma cadeia da região. Os documentos apreendidos na casa dele serão periciados e podem ajudar a polícia com informações sobre o esquema.

ENTENDA
Investigações de um ano e seis meses realizadas pela Polícia Federal do Espírito Santo identificaram um panorama completo sobre as fraudes em vestibulares de medicina em todo o território nacional e sobre os grupos criminosos que atuam no esquema.

A quadrilha “utilizava diversos métodos para cometer a fraude nos processos seletivos para o curso de Medicina”, diz nota oficial divulgada ainda ontem de manhã pela Polícia Federal, que explicou que o bando realizava “falsidade documental, substituição do vestibulando durante as provas, produção de um gabarito e difusão não autorizada e clandestina por algum meio eletrônico aos alunos”.

Ainda segundo a Polícia Federal, essa organização é “altamente especializada, lucrativa, organizada e disseminada”. Também foi ressaltado pelo órgão que as instituições que oferecem cursos de medicina “são ludibriadas em seu processo de seleção dos melhores alunos interessados no ingresso, seja para o meio médico, que recebe profissionais completamente alheios aos princípios éticos, seja para a saúde pública em geral, que será atendida por profissionais com sérios desvios de conduta”.

Fonte: www.diariodemarilia.com.br

0 comentários:

Postar um comentário